joao-batista

Segundo Domingo do Advento. Estamos vivenciando este tempo da Graça de Deus. Tempo de celebrar a primeira vinda do Senhor, vivendo a segundo e nos preparando para a terceira vinda. Semana passada a liturgia nos convidava a transformar as nossas armas de guerra em instrumento de paz, estando preparado e vigilantes para perceber a chegada do Cristo que vem. Esta semana aparece a figura de João Batista para nos ajudar a preparar o natal cristão e não o do capitalismo, do consumo. A forma de se preparar é diferente para aqueles que acreditam em Cristo.  Enquanto o comércio é a preocupação de muitos nós devemos nos preocupar com o coração. João Batista já é o anticonsumo em pessoa. A sua roupa e o seu alimento já revelam tudo. A sua mensagem é de metanoia, que é meta mais noia, mudar de meta e de cabeça. Mudar a mentalidade, a forma de pensar e ver as coisas e o mundo. Na sociedade moderna, de consumo, isso é como que remar contra a maré.

A primeira Leitura, Is 11,1-10, mostra que o profeta, acredita e prega, que com a chegada do rei as relações humanas tomarão um novo ruma. A lei do mais forte vai acabar. Historicamente a dinastia de Davi estava desgastada e enfraquecida, mais de Jessé, o rei da época, vai sair um broto, como que de uma parreira, que vai salvar o seu povo. Este receberá tudo o que precisa, O Espirito do Senhor. Vai, por isso, conhecer o direito e a justiça. Assim as pessoas deixam de ser bicho uma para com as outras. 

A Segunda Leitura, Rm 15,4-9, mostra o momento em que os cristãos que haviam sido expulsos de Roma agora podem voltar. Como que eles foram recebidos pelos cristão romanos? Não foram nada bem recebidos. A esperança, segundo Paulo, traz a consolação. Entre eles não deve haver cristãos de Roma e estrangeiros, mais sim irmãos. Entre eles deve haver o mesmo pensamento, o de Cristo Jesus. Obter o mesmo pensamento de Cristo vai evitar os conflitos entre eles e diminuir os problemas de relacionamento. O segredo é acolher uns aos outros como Cristo nos acolheu. Isso é ser misericordioso. 

O Evangelho, Mt 3,1-12, nos apresenta um modelo de como preparar a vinda do Senhor. Quem é ele? Como vive? Qual é sua mensagem? A resposta vem quando aparece João Batista pregando no deserto, lugar ermo e sem vida. Sua mensagem se resume na metanoia, que é a coragem de pensar e agir diferente. O Reinado de Deus está chegando. Sua figura e sua mensagem já são um contraste com a sociedade consumista de todos os tempos. Os Saduceus e os Fariseus, grupos rivais, apresentam-se para serem batizados. Os saduceus representam o poder de levar as pessoas a pensarem como eles e os Fariseus mandavam no Templo e no Sinédrio. João os chama de cobras venenosas. Eles aparecem sorrateiramente para receber o batismo e assim dentro do grupo de João manter o poder, manter o posto e continuar mandando e desmandando. Eles não estavam ali para mudar a mentalidade, a cabeça, mais para colocar aí dentro as suas idéias. A mudança, metanoia, precisa acontecer na prática e não por mero ritualismo, como eles estavam acostumados. Não se pode receber o Batismo e continuar enganando os outros, a si mesmos e a Deus. O titulo de cristão não garante imunidade, o que importa é a mentalidade. O machado já está na raíz, mesmo na árvore frondosa, cheia de folhas, mais que não produz frutos. A sandálias aqui representa o bastão que é passado de mão em mão para que o outro continue a corrida. É jesus que vai continuar a missão que João deu inicio. Aparece também o simbolismo do Espirito que é o Vento que carrega a palha e o Fogo que a queima. Vinde benditos e ide malditos, é o resumo desta liturgia.

portanto uma figura profética surge no deserto, veste-se e vive de forma austera e chama todos á conversão. A voz que clama para que o caminho do Senhor seja preparado para a sua chegada. Prepara os caminhos endireitando as suas veredas e aplainando os montes e fechando os abismos. Caminhos tortuosos devem ser deixados de lado e fechar os abismos que existe entre irmãos, aplainar os montes, as montanhas que separam as pessoas. Advento é o Senhor que vem mais se faz necessário preparar o caminho para que ele possa encontrar o nosso coração e aí fazer a usa morada. 

BOAS CELEBRAÇÕES A TODOS

P. Sebastião de Oliveira Silva